sexta-feira, 12 de junho de 2009

David Carradine


Oh my God. Já havia lido à respeito da morte do ator David Carradine, dos filmes Kung Fu e Kill Bill, lá em Bongcoc, na Indonésia. Tá tudo bem, ele havia sido encontrado morto no quarto de hotel. O interessante, se é que eu posso utilizar essa palavra para o ocorrido, é o motivo de sua morte. Suicídio. Ele foi encontrado nu, enforcado, com uma corda no pescoço e nos genitais. Detalhe: nenhum sinal de luta foi detectado, o que leva as autoridades locais a acreditarem que sua morte foi resultado de um suicídio acidental. Hã? Como assim?!? Existe uma prática chamada hipoxifilia, onde hà a " privação do fluxo de oxigénio ao cérebro através de asfixia para aumento exponencial do prazer do orgasmo". Acredita-se que o ator estava praticando isso aí; se masturbando. Podemos tirar duas conclusões: primeiro, ele era um velho depravado e segundo, morreu sem ter conseguido chegar ao orgasmo. Não esparava que alguma coisa fosse dar errado. Coitado. Ele foi encontrado dentro do armário, gente. Além de praticar técnicas sadomasoquistas, que implicam privação do oxigênio, ele ainda me escolhe o armário, lugar número um da lista de pavor dos claustrofóbicos (é assim?!), fala sério..O que ele esperava?!? Se não fosse trágico diria que é até cômico. Agora... tem uma cena interessante do filme Mata-me de prazer, com a Heather Graham e o Joseph Fiennes, onde eles utilizam essa técnica da hipoxifilia, que eu vou te contar, viu. UI. Pra quem não quiser ficar com a imagem cristalizada do ator com corda amarrada no saco, dentro do armário...rs.

3 comentários:

Anônimo disse...

Kekeilsonnn?!
Meu Deus... depois a depravada sou eu viu?

Xoquêi.

Colombina disse...

Obrigada pela dica do filme. A imagem do tiozinho com uma corda amarrada no saco ainda está na minha cabeça, mas vai passar...

Amanda disse...

Então,
na verdade, isso não é novidade e ele nem é o primeiro a morrer assim.
Teve um episódio recente num desses seriados sobre médicos e bla bla bla em que um carinha quase morreu vitima de enforcamento por sua dominatrix, que apertava o seu pescoço para aumentar seu prazer durante o orgasmo.
É diferente, eu sei.
Mas é só um dos exemplos das taras malucas desse mundo.

Depois a depravada sou eu.